Kaleidoscópio Literário
                                a expressão de Kathleen Lessa
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Áudios

VELHA SENHORA (na voz da autora)
Data: 07/06/2014
Créditos:
Texto: poema "VELHA SENHORA" - Kathleen Lessa

Voz: da autora

Edição: KML / 2006
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


(áudio na voz da autora)   

 
             
              
    VELHA SENHORA 

                                                                                    
                                                                                    
Persigo o rastro dessa mulher que passa,
Que me arrasta,
Me desgasta,
Me consome,
Pés descalços,
Dedos garras,
Pele áspera,
Olhos doces, doces, doces,
Que me faz escrava,
Corda ao pescoço,
Apertando, sufocando, me vencendo.

Acostumei-me ao cheiro de bolor dessa mulher que passa,
Tão antiga, tão madona,
Que me deforma,
Me soturna,
Me devora,
Possessiva, tão ciumenta,
Trançando-me em suas tranças,
Velando-me com sua sombra,
Dama de negro tirando notas de uma harpa,
Longo acorde em meus ouvidos,
Velho estribilho.

Choro as dores lancinantes dessa mulher que passa,
Que me esvazia,
Que me machuca,
Que me arranha,
Que me enruga,
Que me descarna,
Que passa, passa,
Mas não me deixa!
Olhos tão doces, tão doces, doces,
Vazando lágrimas,
Sangue, veneno.

Deito-me ao colo dessa mulher que passa,
Que passa e fica,
Que é coração de amante,
Que é nódoa,
Alma errante,
Que é incômoda
Outra presença
De mim mesma!

Deita em meu colo, velha Senhora...
Porque teu ser sou eu e porque te quero minha!
Não há outra nesta vida.
Não serás o que não és.
Afina tuas cordas,
Abre tua história,
Escreve teu verso,
Ama o melhor que puderes.

Deita e sossega.
Alguém seguirá o teu rastro.


Olho nos olhos dessa mulher que passa,
Olhos tão doces, tão doces, doces...
E não sei qual das duas é a Senhora que renego.


                  


 
Imagem: cena do filme "Rebecca, a mulher inesquecível".
Enviado por KATHLEEN LESSA em 07/06/2014

Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Comentários

Os textos da autora têm registro no ISBN. Plágio é crime.